Como a gamificação pode ser uma inovação para o Recursos Humanos

Como usar ferramentas tecnológicas para aumentar o engajamento, trazer facilidade e melhorias para os processos de recrutamento e seleção, treinamento e desenvolvimento das empresas? Isso é o que vamos descobrir ao longo deste artigo. O mundo digital tem se mostrado a melhor saída nesses casos, já que a maioria dos candidatos recrutados são jovens nascidos entre o período da década de 80 até o começo dos anos 2000, chamados de Millennials, ou geração Y.

Uma das tecnologias mais usadas, principalmente por esse público, são os jogos digitais. A indústria de games vem crescendo nos últimos anos e segundo estudos divulgados através da análise da SuperData, em 2019, houve um aumento de quase 5% em relação ao ano anterior. No Brasil, a produção de games também está entre aqueles setores dos sistemas de informação que vêm apresentando as maiores taxas de crescimento. O aumento de interesse por esse tipo de tecnologia pode ser explicada por conta do aumento da população das gerações Y e Z, que presenciaram uma das maiores revoluções da história: a internet. Com isso, a tecnologia digital permeia o modo como esses indivíduos se comportam, interagem, pensam, ou seja, conduz seu modelo de vida.

É fato que essas gerações marcadas pela internet, possuem características específicas como, por exemplo, trabalho em equipe, atividades experienciais, uso intenso de tecnologias digitais, procura por objetivos e realização de várias tarefas simultaneamente, o que muitos teóricos chamariam de cibercultura. Então, já que a maior parte dos novos candidatos e funcionários das empresas são pessoas das gerações Y e Z, que estão imersos na cibercultura, e a indústria de games é uma das que melhor conversa com esse público, temos a fórmula para a melhoria dos processos.

Atualmente, o que é mais valorizado e procurado por essas gerações é o prazer das experiências vividas e não apenas o suprimento de algumas necessidades. Eles procuram atividades que sejam tão envolventes e motivadoras quanto um jogo de videogame.

Existe uma nova metodologia que vem crescendo no mercado, chamada gamificações, que tem se mostrado uma ótima solução para as empresas que querem inovar em seus processos de RH. Ela utiliza dos elementos de produção dos games para desenvolver outras ferramentas, visando a motivação, engajamento e influenciando positivamente na produtividade e comportamento dos usuários, por lidar com aspectos individuais através de elementos de game design. Isso não significa que essa técnica se trata de jogos, no sentido literal, mas que utiliza o melhor deles para desenvolver produtos que incentivem e envolvam continuamente esse público. Além de motivar, eles também possuem valor cultural, já que usam ciência e tecnologia para produzir conhecimento, o que o permite a promoção e valorização da cultura local, a aplicação na educação e treinamento, na promoção da saúde e inclusão social, não apenas o entretenimento.

Para isso, é preciso produzir jogos que estejam vinculados a um objetivo de aprendizagem ou solução de um problema real, chamados de Serious Games, assim os usuários se sentem mais engajados no processo. Como o Nescity, por exemplo, um projeto criado pela PushStart para o processo seletivo de trainees da Nestlé, que se trata de uma cidade virtual em que cada um é proprietário de uma loja, buscando ajudar os candidatos a aprenderem um pouco mais sobre administração e inovação na hora de utilizar a tecnologia para resolver problemas como logística, finanças, vendas, etc. O engajamento vêm através de algo desafiador, que coloque o usuário em direção de um objetivo que pode ser alcançado e proporcionar resultados mensuráveis.

Parte do fluxo gamificado da 1ª fase do Trainee Connect 2020 da Nestlé

Estudos mostram que a utilização de gamificação nos processos de recrutamento e seleção pode ajudar com o engajamento dos candidatos e também no employer branding. Empresas que fazem uso desta metodologia, aumentam a eficácia de suas contratações e também sua posição estratégica no mercado de trabalho, justamente por atingir diretamente as gerações que mais crescem nesse cenário. O impacto positivo das experiências vividas dentro da empresa, muitas vezes se torna referência para aqueles que procuram novas oportunidades de emprego.

Ela pode ajudar também no desenvolvimento e na produtividade dos funcionários que já estão na empresa. Estudos realizados na Universidade Federal do Rio Grande do Sul mostram que a técnica ajuda no trabalho em equipe, na participação e no interesse de pessoas que estão envolvidas em processos gamificados. Além disso, melhora a capacidade de aprendizagem e assimilação, justamente por atrair mais e promover uma horizontalidade, onde o funcionário fica livre para interagir e criar seu fluxo de aprendizagem de forma independente. Outro ponto importante, é que ela traz resultados que podem ser mensurados e observados, o que gera um estímulo ainda maior para continuarem com os desafios, sem perder a diversão.

Já em questão de treinamento e desenvolvimento, ela pode ser utilizada de diversas maneiras para alavancar ainda mais os resultados esperados. Uma das formas é trabalhar com e-learning, uma espécie de aprendizado EAD que permite fazer o uso de gamificação para que os usuários acompanhem seu progresso, tenham feedbacks, pontuações e recompensas. Esta técnica pode ser usada presencialmente ou de forma mista. Nesse sentido, ela também gera incentivo para aumento da criatividade e inovação, construção de habilidades e obtenção de conhecimento, por se tratar de desafios direcionados a um objetivo.

O uso de inovações pode aumentar a qualidade e efetividade do treinamento, por facilitar o trabalho e aumentar o engajamento tanto dos gestores, quanto dos funcionários. Ambientes gamificados geram mais motivações por si só, como já visto anteriormente, mas quando há objetivos bem definidos, a eficácia do uso em treinamentos é ainda maior. É importante estabelecer quais as necessidades de desenvolvimentos, o porquê e quais são as capacidades necessárias para atingir a finalidade do treinamento, tendo isso definido, é então que a gamificação entra para transformar o processo mais dinâmico e fácil.

Com os desafios que vieram com a troca de gerações dentro das empresas, a área de recursos humanos precisa acompanhar essa mudança e se reinventar dentro do atual cenário, para manter sua presença no mercado, além de conseguir conversar com esse novo perfil de funcionário e utilizar a tecnologia a seu favor. Tendo isso em vista, a gamificação cumpre esse papel muito bem, se mostrando a melhor saída para esse público e consegue alavancar ainda mais os processos, trazendo engajamento, aprendizagem, facilidade e motivação para desafios.


Escrito por Wagner Nitsch

Wagner is co-founder of PushStart. Graduated in Computer Science, he has been in the Technology area for 14 years and in the Games area for 7 years. At PushStart is the leader of the development team and also project manager.


Seja um pusher você também

Estamos sempre em busca de pessoas que amam trabalhar com inovação e criatividade. Junte-se ao nosso time! Nós temos oportunidades para:
Envie seu trabalho
Todos os direitos reservados - © PushStart